Por Marcelo de Ávila Francos

Olá pessoal!

Hoje o assunto é Dos muitos nomes e talentos de Irati.

Boa leitura.

Irati recebeu, ao longo do tempo, inúmeros títulos e apelidos: Iratim, Covalzinho, Rio de Mel, Pérola do Sul, Boca do Sertão, Capital da Batata,Capital do Feijão, Terra dos Governadores e Terra das Instituições.

A arte e a cultura, a convivência pacífica entre as muitas etnias e a religiosidade, expressa no cinquentenário através da imagem de Nossa Senhora das Graças, são traços marcantes de uma bela história.

A imagem de Nossa Senhora das Graças, foi inaugurada em 1957, ano do cinquentenário de Irati. Ela possui 22 metros e é a mais alta imagem da santa do mundo. O artista responsável por sua criação foi o paulista Ottaviano Papaiz.

A Casa da Cultura está localizada na antiga residência do primeiro prefeito, Emílio Baptista Gomes. Ela foi cedida para a Prefeitura Municipal por membros da família Gomes, em 1989.

Em 1950, foi realizada a 1ª Festa de São Cristóvão. O evento surgiu a partir da preocupação dos motoristas com a instabilidade da indústria madeireira. Neste ano a procissão contou com a participação de 97 veículos.

 

Irati ficou conhecida como Terra dos Governadores graças aos três iratienses que estiveram à frente do governo estadual: Emílio Hoffmann(1973-1975), João Mansur(1975) e Claudio Nunes do Nascimento(1996).

Fonte: Prefeitura de Irati – Álbum Ilustrado – 2015 – História, Cultura, Turismo, Educação, que teve como bibliografia consultada: Irati 100 anos- Audrey Lilia Souza Farah, Chico Guil, Silvio José Phillipi. Curitiba: Editora Arte, 2008. e Revistas do Centenário – José Maria Orreda. 2005-2008.