Por Marcelo de Ávila Francos

Olá pessoal!!!

Hoje o assunto é Caminhando para o futuro: de 1950 a 2000.

Boa leitura a todos!

Em 1957, Irati comemorou o seu cinquentenário com um desfile cívico que retratou as muitas histórias de trabalho e de grandes conquistas de nosso povo. A cidade caminhou com segurança para a virada do século e, em 2007, as festividades do centenário resgataram momentos importantes desta bela trajetória.

Em 15 de julho de 1957, Irati comemorou seus 50 anos com Concursos de trovas e descrições, a projeção do filme “Irati, cidade Pérola do Paraná” do Padre Tadeu Dziedzic e um grande desfile.

Com referência ao CONCURSO DE TROVAS, foi expedido a população iratiense o seguinte comunicado:

A Sub-Comissão de Educação e Cultura dos Festejos do Cinqüentenário de Irati, quando instituiu o Concurso de Trovas teve em mira, apenas, oferecer campo ao desenvolvimento cultural da classe estudantil, não prevendo, nem de longe, o êxito extraordinário, de que ia se revestir; tão grande foi a surpresa que a Sub-Comissão se viu, desde o início, assoberbada com o recebimento de inúmeras e belas composições, cada qual interpretando, a seu modo, a paisagem, a vida, o trabalho e a história do município.

Outra surpresa que se teve foi que se esperava uma maior participação das escolas e colégios e, no entanto, ela veio na sua maior parte de donas de casa, moças, senhoras e homens, que numa demonstração de patriotismo e alto nível intelectual apresentaram trabalhos maravilhosos.

Os trabalhos que obtiveram os primeiros lugares.

TROVAS

1º LUGAR: Silvio Francisco Ribeiro, que se caracterizou pela originalidade da imagem e pelo vigor do pensamento.

EU QUERO GRAVADO EM OURO,

PARA SER MEU RELICÁRIO,

ESSE NOME QUE É UM TESOURO,

IRATI – CINQUENTENÁRIO

2º LUGAR: Gerson Chaiben, que infunde, no improviso da idéia, um sentimento emocional e patriótico.

SE DEUS ME DESSE O PODER,

EU, NUM GOLPE DE MAGIA,

PUNHA IRATI A RENASCER

E CHORAVA DE ALEGRIA…

3º LUGAR: Circe Moreira Rosa, que é um mimo de síntese histórica.

DA ALDEIA PEQUENA E TRISTE

QUE NASCEU ENTRE A FLORESTA,

HOJE UM GRANDE IRATI EXISTE,

CHEIO DE AMOR E FESTA !

4º lugar: Lauro Pereira (Guamirim), que, num toque largo e cruzado, fixa toda a beleza do município.

NESTA COMUNA EXCELENTE

QUANTA BELEZA NÃO HÁ,

DO CARATUVA À ÁGUA QUENTE

DO CAMAQUÃ A ITAPARÁ…

5º LUGAR: Rosemary Lopes, que põe na paisagem local o colorido messiânico da Galileia.

A ESTRUTURA DE IRATI

FAZ A GENTE ATÉ PENSAR

QUE JESUS ANDOU AQUI,

PELOS MONTES A REZAR…

MENÇÕES HONROSAS foram atribuídas as seguintes poesias:

EU TE CARREGO, IRATI

NAS ASAS DO PENSAMENTO,

MAS, SE ME AFASTO DE TI,

A SAUDADE É MEU TORMENTO.

Mafalda S. Lopes

COVALZINHO QUE ONTEM VI,

SEM ORGULHO, NEM MALDADE,

ÉS, AGORA, ESTA IRATI

SOBERBA E LINDA CIDADE!

IRATI, TERRA QUERIDA,

QUE ME VIU FELIZ NASCER;

SE AQUI PASSO A MINHA VIDA,

QUERO AQUI, TAMBÉM, MORRER…

João do Norte

DE ESPERANÇA ÉS O CELEIRO,

LINDO E PRÓSPERO IRATI;

E O TEU SOLO HOSPITALEIRO

FAZ FELIZ QUEM VIVE AQUI !

IRATI RENDE HOMENAGEM

À VIRGEM DO BRANCO VÉU,

E O MORRO CO’A BELA IMAGEM

É UM RETALHINHO DO CÉU…

Irene Techy

JUNTO AO MORRO VERDEJANTE

EU PEQUENINO NASCI;

FUI CRESCENDO, FUI ADIANTE,

PARA CHAMAR-ME IRATI !

Rosemary Martins

PARANÁ NÃO É SÓ NORTE,

SUL É TERRA DO PINHEIRO !

SE TEMOS ESTADO FORTE,

IRATI FOI UM PIONEIRO !

Dicesar Leandro

NOUTROS TEMPOS UMA ABELHA

CUJO NOME ERA “IRATIM”

DEU ORIGEM A CENTELHA

DESTA COMUNA SEM FIM…

João B. Bueno

 

LÁ NO MORRO VERDEJANTE,

CHEIA DE GRAÇA E DE LUZ,

IRATI É PRECE CONSTANTE

À DOCE MÃE DE JESUS !

Rosemary Lopes

NESTA DATA ESPLENDOROSA,

Ó MEU IRATI GENTIL,

ÉS LINDO BOTÃO DE ROSA

NO ROSEIRAL DO BRASIL !

QUEM PRIMEIRO PRONUNCIOU

ESTA PALAVRA – IRATI

COM CERTEZA QUE A TIROU

DAS ASAS DE UM COLIBRI.

Lauro Pereira

MUITA GENTE VAI CORRENDO

ATRÁS DA FELICIDADE,

MAS, VOLTA LOGO DIZENDO

QUE ELA ESTÁ NESTA CIDADE !

IRATI NO AMOR ENCERRA

AS PLANTAS E OS FILHOS SEUS;

PLANTAS – PRESENTE DA TERRA

FILHOS – PRESENTE DE DEUS !

Cícero Moreira Rosas

MEU AMIGO OLHE A CIDADE

QUE PALPITA ENGALANADA:

POR DENTRO – FELICIDADE,

POR FORA – JÓIA DOURADA !

EU QUERO CANTAR-TE EM VERSO,

QUERO GLORIAS DAR A TÍ,

QUERO AS POMPAS DO UNIVERSO,

QUERO TUDO P’RA IRATI !

SÓ AO PENSAR NESTA CIDADE,

(SE DEIXA-LA ME FOR SINA)

JÁ VEJO UM RIO DE SAUDADE

CASCATEANDO NA COLINA…

Silvio Ribeiro

DESCRIÇÕES

Agraciando os escritores que concorreram, galhardamente, no Concurso de Descrições, apresentando quadros vivos e reais do labor incessante e do cenário do município, a Comissão de Educação e Cultura dos Festejos do Cinqüentenário, sente-se orgulhosa diante das palpitações anunciadoras do talento que se vai criando, ao longo destas fecundas e festivas paragens.

Foi a seguinte a classificação dos trabalhos descritos:

1º LUGAR – César Luiz

IRATI, TERRA QUERIDA”

Considerar Irati um grande, rico e fértil mundo, não é refletir apaixonadamente. Em verdade, a nossa terra é o nosso mundo. Um mundo “sui-generis”; esculpido com especial carinho, através de rios e montanhas, de horas e minutos que gotejam, com o voar dos tempos, dos pulsos fortes dos seus filhos, de coração e nascimento.

Além do trabalho material que nele vem se entalhando, a natureza moldou-o com afago. Suas colinas são pinturas vivas. As palmeiras alegres e belas, cantarolam graça. Os pinheiros, reis da flora regional, inspiram personalidade. As árvores irradiam confiança. A vegetação balbucia mensagens, a sua música, que o vento arrasta pelas distâncias.

Os polígnos irregulares que o solo estampa, é a tradução material do amor que o campônio sente pela terra. As fumaças dos charutos industriais, num sinônimo de labor constante misturam-se com o vento e confunde-se com as alturas. E notemos; nem todas fumam. Essas indústrias fazem convergir atividades, movimentam grandes montantes e fortes músculos.

Na grandeza de Irati, vive entrincheirado um povo. Um povo sincero e compreensivo. E sob a proteção da Co-redentora de Gênero humano: Virgem Maria, cuja imagem levantada com carinho, pela arte e pela fé, naquele pico incandescente da serra, construirá uma imorredoura, suave e colossal sinfonia.

Irati, vale de beleza e progresso. De uma beleza agradável, que não se confunde; cujo coração é o coração de seu povo. De um progresso sólido, pois faz residir a sua verdadeira base, no suor que corre das faces e chega até o seio da terra; imprimindo á cidade e ao Município, com enaltecimento, uma fertilidade gloriosa. Tornando essa gente que vide do trabalho e para o trabalho, verdadeiros e leais gladiadores, num másculo cenário colorido de um vasto palco de realizações.

Irati, tua grandeza é indefinível !

Irati, terra querida…EU TE SAUDO !

2º LUGAR – José Maria

“IRATI”

Dia a dia vem estremecendo pelo que diz respeito Cultura, ao seu progresso em todos os sentidos e aos seus problemas, como um pedaço de nação.

Irati cresce rapidamente. Destaca-se. Torna-se cada vez mais forte, como coluna, entre as colunas, que engrandecem de vida sadia, esse Brasil imenso.

É uma potência econômica; a sua marcha sôfrega e poderosa, avança no ritmo de aspirações, evidenciando o seu engrandecimento.

É grande hoje e maior será amanhã. Nem por isso devemos acreditar em Irati como a cidade do futuro. Acreditemos em Irati de hoje e de sempre.

3º LUGAR – João B. Bueno

“IRATI”

Incrustada no imenso planalto dos Campos Gerais, com os telhados a cobrir toda a sua extensão, sua vida fervilhando em todos os setores, brilha a pérola altiva do Sul do Paraná, cognominada, com razão, “PEROLA DO SUL”.

Sua vida começou a cinquenta anos numa terra brava onde o nativo indígena vivia selvagem. Desenvolveu-se lentamente, mas, com segurança; a seiva era abundante.

O pinheiro, rei das árvores brasileiras, enriqueceu esta terra. Quando já o sapé verde deu lugar às construções, a lavoura tornou-se a principal fonte de renda para Irati. A batatinha já alcançou índice enorme.

Irati vive da vida de seus habitantes. A industria desenvolveu-se. Laminados, Compensados, Vidro, Fósforo, são os produtos mais salientes.

Vai aumentando a marcha do progresso em ritmo mais acelerado, e sempre sólido.

A Cidade está quase toda entre montanhas. Vai galgando, porém, os morros emprestando a si própria um aspecto maravilhoso.

O sol, no horizonte, surge da montanha e abre os olhos deslumbrantes para a cidade e, no fim do dia, saudoso, a afagar suavemente, deslisando, lá no oeste, pelo morro que o encobre das vistas elevadas no belíssimo espetáculo do crepúsculo iratiense.

4º LUGAR – H. Gomes

No Canteiro do Brasil, és orvalho que exprime o gosto da Flor; és grandeza, pureza e trabalho; IRATI, não és terra; IRATI, és Amor !

MENÇÃO HONROSA – Antonio Klepa de Souza

Irati, meu berço natal, completará, este ano seu cinqüentenário. Apenas meio século de existência e no entanto tão grande tão progressista, que deixa para trás muitas cidades centenárias.

Seu progresso é sem dúvida bem maior do que sua beleza, mas o que ela perde nos encantos naturais, conquista naquilo que seus filhos fazem para engrandece-la: sua luz é forte, água não falta, ruas são calçadas e uma casa por dia se constrói,

O iratiense é essencialmente um homem de trabalho. Mas embora absorvido em suas preocupações constantes, é todavia generoso e tratável. O iratiense tem vistas grandes e é progressista por natureza e tradição. Para 15 de Julho, todo o município se prepara entusiasticamente. A grande festa culminará com a inauguração do maior monumento mundial à Virgem das Graças, na Serra dos Nogueiras.

Só sei que essa tranqüilidade, esse gozo e essa alegria que vêm de manso invadindo a alma, enchendo-a de paz, fazem com que a gente ame de verdade essa cidade feliz !

O desfile do centenário aconteceu em um domingo, 01º de julho de 2007, realizado por 100 instituições públicas e privadas quer demonstram seu orgulho por fazer parte desta história.

De 1900 até 1930, os esportes praticados eram a caça, a pesca e as corridas de cavalo. A partir de 1930, o futebol passou a fazer parte do calendário esportivo, seguido pelo tênis de campo, voleibol, basquetebol, natação e atletismo.

Música, teatro, literatura e pintura, preservam a cultura iratiense.

Aquarelas de Primo Araújo

Suspende o passo, suponho, /Que a terra azul está aqui;/Porto do encanto e do sonho,/Gruta do amor – Irati!” – Virgilio Moreira, poeta iratiense.

Fonte: Prefeitura de Irati – Álbum Ilustrado – 2015 – História, Cultura, Turismo, Educação, que teve como bibliografia consultada: Irati 100 anos- Audrey Lilia Souza Farah, Chico Guil, Silvio José Phillipi. Curitiba: Editora Arte, 2008. e Revistas do Centenário – José Maria Orreda. 2005-2008.

http://mobile.radionajua.com.br/noticia/irati-de-todos-nos/materias/cinquentenario-de-irati/34726/