Por Marcelo de Ávila Francos

 

Olá pessoal!!!

Hoje estamos lançando a coluna semanal: Irati ontem, hoje, amanhã – Um pouco da história da Pérola do Sul, que será publicada todas as segundas-feiras para contar um pouco da História deste belo município.

Boa leitura a todos!!!

Irati (Paraná)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Irati é um município brasileiro do estado do Paraná. Está situado a cerca de 150 km da capital Curitiba, na região Sudeste do Paraná, conforme as mesorregiões estabelecidas pelo IBGE.

A população é formada pela mescla de diferentes etnias (especialmente poloneses e ucranianos que buscam manter costumes e tradições de seus ascendentes, o que torna a cidade bastante agradável).

Está em Irati a maior imagem de Nossa Senhora das Graças do mundo, com 22

m de altura. Passam pelo município a BR-277, que corta todo o estado de leste a oeste (de Porto de Paranaguá a Foz do Iguaçu, fronteira com o Par

aguai), e a BR-153, que corta o pais de norte a sul.

Entre índios e tropeiros

 

 

Na fazenda Floresta, protegidos por morros e rios, viviam os índios kaingangues. Portugueses e espanhóis foram os primeiros a entrar nas matas desta região. As trilhas que abriram foram utilizadas por tropeiros que viajavam de São Paulo ao Rio Grande do Sul. Nas trilhas do Caminho das Tropas nasceram vilas, entre elas, Irati.

O nome “caingangue” significa “gente do mato. Foram encontrados vários artefatos indígenas nos sítios arqueológicos de nossa cidade.

Em 1829, Pacífico de Souza Borges e Cipriano Francisco Ferraz deram o nome de “Iratim” para as terras que encontraram. Pacífico e a esposa Piedade faleceram em 1936, ele com 129 anos e ela, com 126 anos.

O nome Irati deve-se à colméia de abelhas silvestres chamada de “iratim”, descoberta por Pacífico e Cipriano, nas terras onde hoje está localizada a nossa cidade.

Por volta de 1875, a cidade era um pequeno povoado chamado Covalzinho, em razão dos canteiros de couve que ficavam no caminho por onde passavam os tropeiros.

Fonte: Prefeitura de Irati – Álbum Ilustrado – 2015 – História, Cultura, Turismo, Educação, que teve como bibliografia consultada: Irati 100 anos- Audrey Lilia Souza Farah, Chico Guil, Silvio José Phillipi. Curitiba: Editora Arte, 2008. e Revistas do Centenário – José Maria Orreda. 2005-2008.